Nunca percebi quando se deixa de ser pequeno para passar a ser crescido. Provavelmente quando substituímos os guarda-chuvas de chocolate por bifes tártaros. Provavelmente quando começamos a gostar de tomar duche. Provavelmente quando cessamos de ter medo do escuro. Provavelmente quando nos tornamos tristes. Mas não tenho a certeza : não sei se sou crescido. 

António Lobo Antunes 

Sem comentários:

Enviar um comentário

--