A meu favor tenho o teu olhar 
testemunhando por mim 
perante juízes terríveis: 
a morte, os amigos, os inimigos.

E aqueles que me assaltam 
à noite na solidão do quarto 
refugiam-se em fundos sítios dentro de mim 
quando de manhã o teu olhar ilumina o quarto.

Protege-me com ele, com o teu olhar, 
dos demónios da noite e das aflições do dia, 
fala em voz alta, não deixes que adormeça, 
afasta de mim o pecado da infelicidade.
- Manuel António Pina

Kevin Sloan, The Sleep of Reason, acrylic on canvas, 54 x 48"

James Jean, Pagoda, spray paint, ink and acrylic on 84 wood panels, 112 x 192"

Sem comentários:

Enviar um comentário

--