Ontem disseram-me que o amor se esconde no silêncio. E eu acreditei.

Estou com alguma sede de ti. O que equivale dizer: estou com saudades tuas. Não sei porque te zangas e partes, porque não compreendes que, na minha idade, só pretendo é ser, eu, o mais autêntico possível. Estar contigo para sentir que estou comigo, pois és uma parte minha que descobri, muito embora tenhas um nome diferente, sejas uma mulher e leves a tua própria vida. Gostava que percebesses isso e não te assustasses com o que te parece fazer-me feliz e o que me faz triste a mim.

Porque atiras porta fora todas as minhas certezas? Porque acreditas que eu não te quero aqui?
 (…)
Não sei como dizer-te… há uma angústia dentro que me perturba. Por vezes não sei geri-la sem que te magoe. Ou talvez eu pense que a podes sentir como eu. É que por me sentir tão tu, não sei se já notaste, não reparo, muitas vezes, que as coisas te magoam de outra maneira.
Eduardo White

Sem comentários:

Enviar um comentário

--